Blog

A química em prol da sustentabilidade

Que química e sustentabilidade tem tudo a ver uma coisa com a outra, muitas pessoas já sabem. No entanto, o que poucas delas imaginam é que o conceito de “química verde” tem ganhado cada vez mais espaço na sociedade, fazendo com que experimentos práticos e laboratoriais consigam colaborar de maneira direta para um planeta mais “ecológico”.

Ou seja, o conceito por trás da “química” nem sempre está associado a poluição, a geração de resíduos ou ao aumento no volume de lixo propagado pelos municípios, quando é também através dos tratamentos d’água, do solo, do ar e da degradação de poluentes nunca antes analisados que a definição do termo pode vir a ser representada da mais fidedigna maneira.

Isto é, quando o assunto trata a respeito da química, seja ela do tipo “verde” ou tradicional, o universo de pesquisas, experimentos e práticas reais vai muito além do que já é “batido” pelo senso comum.

Em linhas gerais, ainda afirma-se que a química verde pode ser descrita através do uso de técnicas e metodologias que visam reduzir ou eliminar o uso de solventes e reagentes classificados como nocivos à saúde humana ou ao meio ambiente.

Além de não ser considerada uma novidade em termos de aplicações industriais, a química verde também vem se destacando por ser cada vez mais aplicada nos seguintes universos:

Há anos o desenvolvimento autossustentável vem sendo incorporado nos ideais do homem moderno – quando a química verde veio para fortalecer ainda mais esta condição

Partindo-se do princípio de que há décadas o desenvolvimento autossustentável tem sido buscado e incorporado nos ideais do homem moderno, não há como negar que a química verde surgiu para fortalecer ainda mais esta condição.

A própria ECO-92, o Protocolo de Kyoto e a Rio+10 assinam embaixo desta teoria no sentido de serem elas as principais responsáveis por exemplificarem iniciativas que mostram a crescente preocupação mundial com as questões ambientais.

Ou seja, a química verde pode, sim, ser encarada como a associação do desenvolvimento químico que visa a autossustentabilidade.

Você já parou para pensar no quanto a química e a sustentabilidade podem interferir no dia a dia de seu negócio?

Se pegarmos como base um estabelecimento médico ou farmacêutico, por exemplo, chegaremos à conclusão de que quanto mais sustentáveis forem suas rotinas, melhores também tenderão a ser suas reputações perante o mercado.

Ou seja, a partir do momento em que a sustentabilidade se faz trabalhada junto ao meio empreendedor, o que fica em plano de destaque não inclui apenas o incentivo do plantio de árvores e a menor geração de lixo, mas sim lida com fatores que incluem energia, gastos de materiais, consumos d’água aplicados em uma determinada produção e assim por diante.

Por todos estes motivos, a SC Química acredita que inovar é sempre necessário e bem-vindo, mas, ainda assim, nada impede que tal avanço seja acompanhado do melhor do viés da sustentabilidade.

Pense nisso e faça com que seu dia a dia seja mais “verde”!